terça-feira, julho 31, 2012

Lambretta LN 125



A icónica scooter que nasceu (quase) a par com a Vespa, e que fez sucesso por todo o mundo, foi agora reeditada. Destaca-se pela boa qualidade de construção da carenagem, monobloco em chapa de aço, quase isenta de ruídos parasitas, mesmo ao circular nas velhas calçadas. As linhas clássicas da Lambretta, causam sensação por onde passa. Vê-se logo que não é uma simples scooter. Até o trabalhar do motor também é muito particular.
Não faz um som, nem tem um desempenho qualquer… Expressa-se quase como se tivesse um sotaque e uma “souplesse” de motor antigo. É muito charmoso! Também dispõe de uns bons travões, eficazes sobretudo quando usados em simultâneo, transmitindo uma segurança muito grande.




Ficha Técnica
Lambretta LN 125


Displacement
124,6cc
Engine
4 stroke single cylinder
Power
6,5 Kw -8000 rpm
Max Torque
8,33 Nm - 6500 rpm
Cooling System
Air
Starter
Electric
Fuel System
Fuel System Carburetor
Transmission
Automatic twist and go
Front Suspension
Telescopic Fork
Rear Suspension
Single spring
Front Brake
ø 190mm disc
Rear Brake
Drum
Front Tire
Tubeless 110/70-12"
Rear Tire
Tubeless 120/70-12"
Weight
107 Kg
Fuel Tank Capacity
6 litres
Length/Width/Height
1930mm/530mm/1380mm


O quadro monobloco em aço é uma imagem de marca das Lambretta LN


Saiba mais sobre a nova Lambretta aqui: http://www.lambrettamotorcycles.com/index.html



domingo, julho 01, 2012

KTM DUKE 125


Não há nada parecido!


Atravessar a cidade nesta “mini Duke” é quase a mesma coisa que jogar numa consola. O motor debita o máximo permitido à categoria, uns expressivos 15cv de potência, e a caixa de velocidades é muito bem escalonada. A embraiagem tem um acionamento muito leve e a eletrónica cumpre na perfeição a missão que lhe foi confiada, libertando a potência de uma forma suave mas consistente, permitindo aproveitar quase toda a faixa de utilização do motor.

A travagem é primorosa, tanto de potência como de dosificação, e a suspensão é de elevado nível permitindo abusos com a máxima confiança, mesmo em pisos muito degradados. Ainda assim permite com o seu razoável curso de 150mm, ultrapassar os obstáculos que normalmente encontramos nas zonas urbanas, com elevada facilidade e elegância. O peso muito contido facilita a manobrabilidade, e apenas o ângulo de brecagem se vê um pouco escasso para certas manobras.



A posição de condução é muito ergonómica e apesar do banco, muito confortável, ser relativamente mais elevado do que a maioria dos da sua classe, a sua pouca largura “entre pernas” permite alcançar o chão facilmente.

O consumo reduzido e a grande capacidade do depósito permitem que quase nos esqueçamos de abastecer!

A grande qualidade dos acabamentos e a basta informação transmitida pelo painel, fazem da “Duke” uma opção inquestionável para quem procurar uma companheira “jovem e dotada” para se descolar em cidade.